sobre o triste

Sou triste, não estou por um problema ou passando por uma fase.
Não vivo chorando pelos cantos ou sinto vontade de morrer, apenas não riu com a mesma frequência que as pessoas que convivo, o problema é que não costumo censurá-las por seus sorrisos idiotas ou por atitudes “positivas” que as impedem de pensar na beleza de chorar com uma perda e crescer com a vivência de um drama.Drama que no mundo dos felizes é palavra proibida.
Um poco de melancolia não torna um a pessoa infeliz apenas demonstra seu carater diante da realidade.
Minha falta de alegria não me torna menos humano ou sensívell as boas coisas da vida.
Não creio que a vida se resolve no sofrimento ou que isto me torna mais maduro, alias poucas são as razões pra sofrer neste monento da minha vida, mas preciso ser sincero, preciso ser eu mesmo.
Não irei adiante sem viver este momento, hoje sou triste.
Que me perdoem os que buscam me animar ou pensam que irei pro inferno por não louvar a deus sobre tudo.

Published in: on 29 dezembro 2011 at 16:05  Deixe um comentário  

sou brasileiro…

Amo a vida que possuo por pior que ela seja, ainda amo essa desgraça,
quando deixar de amar me suicido, mas por hora desfruto do prazer que me causa um abraço entre estranhos, um bom dia ritualmente repetido por pessoas que se odeiam no trabalho.A alegria da vitória de um time de futebol, ou a eleição de um mulher a presidência desta merda de pais (não sei o que é mais patético o país ou ..).
Não, não estou sendo irônico e também não sou otimista, não creio na melhoria das pessoas em massa, sempre seremos um país de ilusões e
conveniências repetindo estupidamente que nunca iremos desistir.
A pergunta que sempre me vem a cabeça é: Desistir do que?
Do hexa, ou da mentira chamada democracia, temos o habito bizarro de crer que somos livres, que temos acesso a conhecimento e podemos mudar o mundo e tudo que sabemos fazer de verdade e sentar e rir da tv enquanto esperamos para voltar a rotina de penúria.
Amo o fato, de não ser o que queria quando criança e a certeza que
não faz a menor diferença, aliás sonhos não realizados são o que movem nossas vidas, entre um e outro os anos passam e a gente se engana achando que fizemos tudo que podíamos e que pelo menos foi divertido.
Mentira maravilhosa não é?

Published in: on 7 junho 2011 at 17:22  Comments (2)  

O que não tenho

Não vejo saída em mim.
Admiro a esperança vista de longe, como uma tela impressionista
que depende da luz.
Esta farsa forjada no medo do fracasso, cantada e gloriada como virtude, não possuo.
Minha razão a denomina fuga, um desvio banal que uma hora ou outra regressa ao problema.
Não creio que tudo tenha solução, que um dia possamos entender o universo ou no poder da ciência.
Entre ciência e religião prefiro o silêncio, a paz de saber que não preciso de respostas para tudo que não entendo.
Adimito que por vezes tentei crer que poderia resolver um problema apenas aceditabdo que seria capaz e sempre cheguei a conclusão de que não é a fé em mim que chega a solução e sim o quanto lutei pra isso.Crer nunca sera poder, eperança gera preguiça que inerte a ação
retendo o progresso, assim sendo nada é mais cruel do que esperança.
Como uma tela de Eliseu Viscionti(camponesa sentada na grama)
Onde a beleza esta na angustia. Assim é a esperança

Published in: on 19 maio 2011 at 16:48  Deixe um comentário