Por sua escusa

Uso me como desculpa
pra sua indecisão.
Me entrego em teu lugar
pra vingar a timidez.
De vez… talvez
teu sonho seja meu.
Devoto me em teu altar
de medos que eu tenho
Encontro me inteiro no canto d
o teu ser e será intenso
e verdadeiro o que falta te preencher.
Invento me no vazio que te causo
e me perco na escuridão.
Devolvo me a teu ser por
não crer no meu surgir.
Usando me como desculpa
pra sua indecisão.

Published in: Sem categoria on 1 agosto 2013 at 22:03  Deixe um comentário  

Suspiro

Falta lhe ar
Sem respirar em um eterno
jogo de golpes no escuro.
Lutando para encontrar oxigênio.
Enlouquece ao se debater por um suspiro.
Destruindo o que lhe resta de sanidade
ao tentar sobreviver na sufocante alucinação.

Músculos tremem se desfalecendo,
nervos se perdem em dor,
a alma já não responde ao coração.

Sentimentos se atacam atordoados
pensamentos se extirpam na escuridão.
Caoticamente se rende a falha razão.
Apalpa o feixe mudo de esperança
sucumbindo a inquietante alienação.
Desvalendo os males de uma noite
acordando entre sombras e temores
Faz do pesadelo a mais pura redenção.

Published in: Sem categoria on 11 janeiro 2013 at 13:45  Deixe um comentário  

eu quem partiu

Sei, fui eu quem partiu
Tomei meu coração e fugi
levando comigo a verdade
Estou apaixonado por seus passos.

Sei, fui eu quem partiu
larguei minha alma e fugi
levando comigo a angústia
De estar apaixonado por seus passos.

Perfume ausente da minha estrada.
Lábios distantes de meu amor.

Por onde anda meu caminho?

Onde guarda seu rancor
tem espaço pra um abraço?
Onde teima me enterrar
tem espaço pra uma rosa?

Sim, fui eu quem partiu.
sem nunca sair daqui
sem nunca deixa de sentir
seus passos dentro de mim.

Por onde anda meu caminho?

Published in: on 11 janeiro 2013 at 13:41  Deixe um comentário  

Ínfimo

O brilho ínfimo lhe guia a distância.
Leve brisa sussurra o segredo.
Corujas observam o bem despertar
Viva este breve conto comigo

Se achegue em silêncio a meus lábios
Me abrace, me abrace e devolva me a mim.
Revogue a alegria em meus olhos.
Viva este conto comigo

Seguirei além dos céus em seus sonhos.
Acordarei de seus sonhos nos meus
Nesta noite de volta
Viva este conto comigo.:

Viva este conto comigo
Até não sermos mais nós.
Viva este conto comigo
Enquanto estamos pra nós.

Respeite o canto dos anjos
Viva este conto comigo

Published in: Sem categoria on 20 dezembro 2012 at 16:14  Deixe um comentário  

Vazio voraz

Espaço de tempo ou corrido percorrido
tornado distante a distancia entre os passos
que deviam ser juntos em um único caminho
mas a vida torno os comparsas de crimes
disntantes não obstante segredo entre si e
servindo ao servil da memória mordaz que molda
o futuro de cada afagono vazio do abraço no
vento esperando ser sim realidade denovo vivvida
voraz.

Published in: Sem categoria on 20 dezembro 2012 at 16:12  Deixe um comentário  

Enquanto você ri

“Aguardo o proximo amanhecer
Relendo seus poemas
Suas palavras incertas
Vegonha alheia me aflinge
enquanto você ri.

Suas farsas tão antigas
promessas de noite
lembranças de dia
Raiva inerente renasce
… dentro de mim.

Partindo desta noite sã
aguardo a luz sobre seus versos
mas temo encontrar suas armas
e usa-las contra o mundo
enquanto você ri.”

Published in: Sem categoria on 3 dezembro 2012 at 17:08  Deixe um comentário  

Malícia

Estou calado entre suas frases.
Parado entre seus passos.
Reagindo a suas preces.
Observo o que não mostra.
Sua idéia é meu refúgio.
Te domino a me submeter
e não percebes que o sentido
eu escolhi.
Agride meu pensar com palavras
que inventei.
Meu ditado é tua fala de injúrias
contra mim (supostamente)
Esconde-se quando quero liberdade
acreditando estar mentindo.
Ponho a prova minha ambição
te fazendo ser cruel ao meu querer.
Choro ao ver minha obra prima
Seu amor como ódio a me bater.

Published in: on 21 maio 2012 at 16:32  Deixe um comentário  

Terno e sensato

Ternamente se aproxima do fim
teimando em viver o que resta.
Ainda supre inúteis esperanças
de alegrias no amor inexistente.
Sutilmente desfalece em sorrir,
desfarçar a desgraça em paixão.
Passeia por ruas distantes de casa
sem pressa e coragem pra voltar.
Até onde vai o sentimento perdido
segue as sombras cantarolando
assobiando canções que nunca aprendeu.
De repente se apega ao futuro,
de repente se aconchega na dor.
Inesperadamente desiste do sonho
Sensatamente se nega a amar.

Published in: on 21 maio 2012 at 16:31  Deixe um comentário  

lágrima viva

Menina que sonha e canta o que quer.
Menina que brinca e vive seu amor.
Menina que chora de alegria ou de dor.
Menina de força e intensa paixão.
Menina que cresce e se revela mulher
sem nunca fingir que deixou de ser a menina que é.

Published in: on 15 janeiro 2012 at 16:16  Deixe um comentário  
Tags: , ,

Menina Rosa

Menina rosa
de pétalas curtas,
perfume doce
e graça na pose,
de caule esguio.
Não se exibe
ou regozija,
mas se orgulha
dos espinhos que tem.

Published in: on 15 janeiro 2012 at 16:15  Deixe um comentário  
Tags: , ,